CUIDANDO DA SAÚDE FEMININA

Dra. Natalia Ferreira Cardoso Moura
Fisioterapeuta Neurofuncional Adulto e Infantil

Campo Grande - Mato Grosso do Sul - MS

QUANDO PROCURAR O

Fisioterapeuta Neurofuncional?

A Fisioterapia Neurofuncional age sobre o sistema nervoso central e periférico. Dessa forma, o profissional dessa área vai trabalhar ao lado dos médicos na recuperação de desordens neurológicas, cognitivas e motoras.

Como forma de reabilitar as funções corporais, as técnicas utilizadas baseiam-se em exercícios específicos, com ou sem ajuda de aparelhos, que estimulam a neuroplasticidade da função corporal a ser reabilitada.

Algumas doenças ou traumas físicos podem desencadear problemas no sistema nervoso com reflexos em todo o corpo. Dessa maneira, o fisioterapeuta neurológico reúne uma série de técnicas como forma de tratar pacientes acometidos por:

  • Traumatismo cranioencefálico (TCE)
  • Lesão medular (paraplegia, tetraplegia)
  • Acidente Vascular Cerebral (AVC)
  • Hidrocefalia e Microcefalia
  • Paralisia cerebral
  • Esclerose múltipla
  • Doença de Parkinson
  • Doença de Alzheimer
  • Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA)
  • Síndrome de Down, dentre outras...

Área de Atuação

Atendimento especializado em Fisioterapia Neurofuncional Adulto e Pediátrica

Nosso objetivo é restaurar a funcionalidade através do aprendizado do movimento e reestabelecer a identidade emocional e física do paciente lesionado.
Fisioterapia Pediátrica

Fisioterapia
Neurofuncional Pediátrica

Fisioterapia NeuroPediátrica trabalha de forma a prevenir, reabilitar e, estabilizar as sequelas resultantes de problemas relacionados ao sistema nervoso central e periférico. Crianças com atraso no desenvolvimento neuropsicomotor, sequelas de prematuridade, síndromes diversas, paralisia cerebral, hidrocefalia, autismo, microcefalia.
Fisioterapia Esportiva

Fisioterapia
Neurofuncional Adulto

Fisioterapia Neurofuncional age sobre o sistema nervoso central e periférico. Trabalhando ao lado dos médicos na recuperação de desordens neurológicas, cognitivas e motoras. Avaliamos qual procedimento deverá ser realizado para poder fazer a reabilitação do paciente de acordo com suas necessidades e limitações.

Reabilitação neuromotora adulto e Pediátrica e estimulação precoce de bebês

Atuo no Tratamento das seguintes Patologias

Se você acredita possuir alguma destas patologias, agora já sabe que elas tem solução segura!
  • AME - Atrofia Muscular Espinha

    COMO REALIZAR O TRATAMENTO DA ATROFIA MUSCULAR ESPINHAL  (AME)

    AME - Atrofia Muscular Espinhal  - é uma das doenças neuromusculares mais comuns na infância, sendo reconhecida também como uma das doenças hereditárias mais fatais de herança autossômica recessiva. Depois da fibrose cística, a Atrofia Muscular Espinhal  é considerada a principal causa fatal, com uma incidência de 1 a cada 6.000 a 10.000 nascimentos.

    A Atrofia Muscular Espinhal – AME é uma doença que compromete o corpo do neurônio motor na ponta anterior da medula espinhal. Clinicamente, é possível perceber uma fraqueza muscular, atrofia e hipotonia difusas com predomínio nas porções proximais dos membros (por exemplo, no fêmur. A porção do osso que se articula com o quadril é a porção proximal), associadas a fasciculações ( pequena contração muscular, local, momentânea e involuntária que pode ser visível sob a pele) e arreflexia tendínea (ausência de reflexos em que o paciente não apresenta reflexo ao tendão do músculo estimulado). Os músculos respiratórios, bulbares e paravertebrais são usualmente afetados, ao contrário dos músculos faciais e oculares. 


    Tratamento fisioterapêutico para AME - Atrofia Muscular Espinhal 

    Programas de exercícios formados por atividades de intensidade leve e moderada podem melhorar o desempenho motor, desde que o quadro de fraqueza e fadiga não seja grave.
    Órteses e equipamentos de assistência e suporte são bem utilizados para gerenciamento de fraqueza, nas dificuldades relacionadas ao equilíbrio, nas dores e deformidades articulares.
    Os dois fatores principais e primordiais que devem ser levados em consideração no planejamento e implementação de atividades para pacientes com doenças neuromusculares são a prevenção de atrofia por desuso ou fadiga por utilização excessiva dos neurônios motores remanescentes.
    Nos casos de fisioterapia respiratória, o objetivo é o de prevenir o acúmulo de secreções e amenizar a redução do volume corrente. Além disso, é feito o  alongamento da musculatura acessória da respiração e torácica, para melhorar o alinhamento biomecânico do tórax.

    Para saber mais detalhes sobre os tratamentos de Fisioterapia Neurofuncional em relação particular e específica ao seu caso, entre em contato direto conosco através do botão do WhatsApp do site.

  • AVC Infantil
  • Bebês Prematuras com Atrasos ou com Fatores de Risco
  • Distrofia Muscular de Duchenne
  • Hidrocefalia
  • Microcefalia
  • Mielomeningocele
  • Paralisia Cerebral
  • Restrição do Crescimento Fetal
  • Sindrome de Down



    Para saber mais detalhes sobre os tratamentos de Fisioterapia Neurofuncional em relação particular e específica ao seu caso, entre em contato direto conosco através do botão do WhatsApp do site.

  • Torcicolo Congênito
  • Alzheimer

    A doença de Alzheimer é uma doença degenerativa do cérebro que acomete principalmente pessoas entre 60 e 90 anos, podendo aparecer antes e também depois desta faixa de idade, porém com menor frequência. Funções cerebrais como memória, linguagem, cálculo, comportamento  são comprometidas de forma lentamente progressiva levando o paciente a uma dependência para executar suas atividades de vida diária.

    Desde o início dos sintomas, como o esquecimento, até um comprometimento mais grave, com limitação de marcha e da capacidade de engolir, podem se passar de 10 a 15 anos. A doença em si não leva à morte, mas sim a complicações decorrentes do comprometimento de diversas funções.

    É um processo diferente do envelhecimento cerebral, pois ocorrem alterações patológicas no tecido cerebral como deposição de proteínas anormais e morte celular.

    Os primeiros sinais são a perda de memória e o comportamento alterado do indivíduo. Não é qualquer perda de memória que devemos ficar alertas, mas àquela que se repete e começa a comprometer o dia a dia da pessoa, interferindo no funcionamento das atividades pessoais. Com o evoluir da doença, estas perdas são cada vez mais progressivas e comprometem até memórias autobiográficas do paciente (como nome dos filhos e netos).

    As alterações comportamentais podem ocorrer desde o início e são muito frequentes no decorrer da doença. Indivíduos com Alzheimer podem ter características depressivas, de agitação e de agressividade, ou até mesmo delírios e alucinações.

    A medicina ainda não sabe a causa do Alzheimer, embora seja conhecido o processo de perda de células cerebrais. O Alzheimer não tem um caráter nitidamente genético, com transmissão direta de geração a geração. O que se estima é que haja a transmissão da predisposição para desenvolvê-la, o que, junto a fatores ambientais, poderá ou não desencadeá-la.

    Existem medicações atualmente que estabilizam a doença ou diminuem a velocidade de perda funcional em cerca de cinco anos ou mais, podendo oferecer mais tempo com qualidade de vida ao paciente e aos familiares. Apesar do Alzheimer não ter cura, estas medicações, desde que bem otimizadas, podem oferecer conforto, alívio e qualidade de vida.

    Atualmente podemos atuar em cinco áreas de prevenção de demência que terão muito mais efeito se realizadas conjuntamente, e mais eficazes se iniciadas precocemente:

      • Atividade física apropriada para idade (de preferencia atividade aeróbica);
      • Alimentação balanceada e voltada para alimentos naturais – dieta do mediterrâneo, alimentos ricos em ômega 3;
      • Prevenção de fatores de risco vascular como controlar diabetes, hipertensão, dislipidemias. Evitar tabagismo, álcool em excesso;
      • Atividade intelectual: testes, exercícios mentais, manutenção atividade profissional, programa de reabilitação cognitiva;
      • Preservação das relações sociais e familiares (convivência interpessoal, manutenção e reforço de vínculos afetivos).
      • Ainda não existem remédios milagrosos ou procedimentos definitivos, porém a medicina tem evoluído rapidamente na busca dos melhores recursos para tratar e prevenir o Alzheimer.

      A fisioterapia no Alzheimer atua com exercícios específicos, com o objetivo de evitar e diminuir deformidades. Deve ser realizada por 2-3 vezes por semana em pacientes que se encontram numa fase inicial da doença e, que apresentam sintomas como, dificuldade em andar ou equilibrar, por exemplo, ajudando a retardar o avançar da doença e mantendo a autonomia do doente por um maior período de tempo. Com isso, as chances de queda diminuem, o que melhora a qualidade de vida e prolonga a independência do idoso.

      Para saber mais detalhes sobre os tratamentos de Fisioterapia Neurofuncional em relação particular e específica ao seu caso, entre em contato direto conosco através do botão do WhatsApp do site.

    • AVC Adulto
    • Lesão Medular
    • Ela
    • Parkinson
    • Traumatismo Craniano

    Formação

    Dra. Natalia Cardoso - Fisioterapeuta Neurofuncional

    Crefito: 

    Formação acadêmica
    Bacharel em Fisioterapia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – Cidade Universitária – Campo Grande – MS.
    Curso Prático de Aperfeiçoamento em Intervenção Precoce pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCAR - São Carlos - São Paulo.
    Curso de formação completa em Pilates - VOLL pilates Group.
    Curso básico pediátrico de tratamento neuroevolutivo - Conceito Bobath- CERN - Centro de estudos em neuroreabilitação.
    Especialização latu sensu em Fisioterapia Neurofuncional com Ênfase no Adulto - Faculdade Inspirar unidade Campo Grande – MS. 
    Especialização latu sensu em Fisioterapia Neurofuncional Pediátrica. Faculdade Inspirar unidade Campo Grande – MS.
    Formação de Instrutores de Shantala - Virginia Ferreira Saúde da Mulher e da Criança.
    Cursando Libras pelo Master Libras 5.0

    Experiência profissional
    Julho 2017 a setembro de 2017- Fisioterapeuta na Clínica Fisioclin.
    Setembro 2017 a março de 2018 - Aperfeiçoamento em Intervenção Precoce - Nenem - Núcleo de estudo em Neuropediatria e Motricidade - UFSCAR.
    Maio de 2018 a dezembro de 2020 - Fisioterapeuta na clínica de habilitação e reabilitação Reintegre, Campo Grande - MS.

    Cursos Extracurriculares
    GAMETERAPIA - Realidade Virtual Aplicada a Reabilitação - Teórico e Prático - Faculdade Inspirar.
    Osteopatia em Pediatria - Faculdade Inspirar.
    Curso básico de Inglês e espanhol - Wizard.
    Curso ''O mundo sensorial na abordagem terapêutica: efeitos e razões neurofisiológicas - Aprendendo com o paciente neurológico adulto.''
    Cursando Master Libras 5.0

    Galeria de Fotos

    Galeria de Vídeos

    Loading...

    Entre em Contato

    Agende uma Avaliação

    (67) 99125-1504 (watsapp)

    Localização:

    Rua Rui Barbosa 1927, bloco A, apto 12
    Campo Grande, Mato Grosso do Sul - MS

    Horário de Atendimento

    A combinar

    Homecare

    Entenda como funciona
    HORÁRIOS DE ATENDIMENTO:
    De 2ª à 6ª > das 8:00 às 19:00
    Sábados > de 8:00 às 12:00

    Dra. Natalia Cardoso
    Fisioterapeuta Neurofuncional Adulto e Pediátrica
    CAMPO GRANDE - MATO GROSSO DO SUL - MS

    Copyright © 2011 corpoinforma.com - Todos os direitos Reservados. 
    Design & Desenvolvimento - Andrômeda Web Marketing
    Logo Corpo Informa